top of page
  • alinefrutuoso

Diversidade Religiosa nas Organizações: Combatendo a Intolerância Religiosa e Construindo Ambientes Inclusivos


Homem e mulher negros em um ritual de religião de matriz africana.

No dia 21 de janeiro, celebramos o Dia de Combate à Intolerância Religiosa, uma data que nos instiga a refletir sobre a importância de promover a diversidade religiosa nas organizações. Vale ressaltar que a data foi instituída em 2007 para homenagear a Iyalorixá Mãe Gilda de Ogum, vítima de intolerância religiosa em 2000. 

 

Em um mundo onde a intolerância é um dos "braços" do racismo, é de suma importância abordar essa temática nas esferas corporativas. O Brasil, embora assegure a igualdade religiosa e a laicidade do Estado conforme o artigo 5º da Constituição Federal de 1988, enfrenta desafios significativos. Segundo o Disque 100, serviço de denúncias do governo, casos de intolerância religiosa cresceram de forma alarmante. 


No mês passado, em nosso blog, exploramos a relevância da diversidade religiosa durante as festividades de dezembro, destacando a importância de adotar uma postura inclusiva. (Leia mais sobre isso aqui.)  


Neste artigo, discutiremos os desafios enfrentados, destacando dados divulgados pela startup JusRacial, a importância do diálogo inter-religioso como proposta pacífica e a necessidade premente de lideranças atuarem na criação de ambientes seguros e inclusivos para todas as pessoas, independentemente de sua religião. 

 

A Explosão dos Casos de Racismo e Intolerância Religiosa

  

Segundo informações do site Notícia Preta e dados fornecidos pela startup JusRacial, o ano de 2023 testemunhou um aumento significativo nos processos judiciais relacionados a casos de racismo e intolerância religiosa. Foram registrados impressionantes 176.055 processos apenas no ano de 2023 representando um assustador aumento de 17.000% nos últimos 14 anos. Os tribunais de todo o país somaram mais de 74.613 ações relacionadas a essas questões, evidenciando a urgência de abordar e combater essa realidade. 


Esses números revelam uma realidade alarmante que transcende as barreiras judiciais e destaca a necessidade urgente de ações preventivas e de conscientização em todos os setores da sociedade, inclusive nas organizações. 


A Intolerância Religiosa como Manifestação do Racismo Cultural

  

O racismo, em suas formas diversas, atua como um propulsor da intolerância religiosa, especialmente contra as religiões afro-brasileiras.  A discriminação racial e étnica alimenta estereótipos e preconceitos que se manifestam de maneira aguda contra práticas religiosas não cristãs, especialmente as afro-brasileiras. O Brasil, ainda marcado por uma herança colonial que tenta apagar elementos culturais trazidos da África e dos povos originários, enfrenta o desafio de superar séculos de racismo enraizado. 


A Importância da Diversidade Religiosa nas Organizações e o Desafio Contemporâneo

 

A diversidade religiosa não é apenas um conceito ético; é uma necessidade que as empresas modernas precisam abraçar para criar ambientes de trabalho mais justos e inclusivos. Ao promover um entendimento mais profundo sobre as crenças e práticas religiosas diversas, as organizações contribuem para a construção de equipes mais coesas e produtivas. 


A diversidade religiosa nas organizações é uma resposta necessária aos desafios contemporâneos. Enquanto discutimos estratégias para estabelecer ambientes de trabalho inclusivos, é crucial reconhecer a gravidade da intolerância religiosa que persiste no Brasil. O papel das empresas vai além das práticas internas, estendendo-se à promoção do respeito mútuo e à conscientização sobre a diversidade religiosa na sociedade. 


Diálogo Inter-Religioso como Proposta Pacífica


Um ponto crucial para promover a diversidade religiosa de maneira pacífica é o estímulo ao diálogo inter-religioso. Ao criar espaços e oportunidades para que as diferentes religiões possam compartilhar e compreender suas práticas, as organizações fomentam a construção de pontes de entendimento. O diálogo inter-religioso não apenas diminui estigmas e preconceitos, mas também fortalece os laços de respeito e aceitação mútua. 


Liderança como Catalisadora de Ambientes Seguros  


A liderança desempenha um papel fundamental na promoção de ambientes seguros psicologicamente falando. Diante do aumento preocupante de casos de intolerância religiosa, os líderes têm o dever de criar culturas organizacionais que não apenas tolerem, mas celebrem a diversidade religiosa. A aceitação e respeito às diferentes crenças devem ser incorporados aos valores fundamentais da empresa. 


Líderes que abraçam a diversidade religiosa não apenas agem eticamente, mas também colhem benefícios tangíveis, como uma força de trabalho mais engajada, inovadora e comprometida. Ao criar políticas inclusivas, promover o diálogo inter-religioso e sensibilizar a equipe, os líderes contribuem significativamente para a construção de ambientes onde cada indivíduo se sinta valorizado. 


Finalizando este artigo, reforçamos a importância de reconhecer e combater a intolerância religiosa e o racismo não apenas nas organizações, mas em toda a sociedade. As empresas desempenham um papel fundamental na construção de ambientes inclusivos, mas é um esforço coletivo que requer a conscientização de todos os cidadãos. Junte-se a nós na celebração da diversidade religiosa e na construção de um futuro mais inclusivo, onde o respeito mútuo e a aceitação são fundamentais para um ambiente corporativo vibrante e enriquecedor. 


Artigo por Aline Frutuoso 


 

Bibliografia 

 

Comments


bottom of page